Eu sou a Universal Universal

Minha história

Sou o Miguel. Sou pai, avô, marido. Sou um nordestino que venceu na cidade grande. Sou taxista. Eu sou a Universal!

Aprendi com a vida que o trabalho dignifica a pessoa, por isso procuro me dedicar com fidelidade.

 

Dor da saudade

Trafegar na maior cidade do país não é tarefa fácil. Trânsito caótico, poluição sonora e ambiental, motoristas no limite da paciência e muita insegurança… Tudo isso contribui para uma vida pouco saudável, sobretudo, para os taxistas, que dependem desta profissão para sobreviver. E a frota de taxis por aqui só aumenta. Atualmente já são mais de 40 mil profissionais para 34 mil taxis.

Mas, é neste cenário de estresse e agitação constante que encontramos o sorridente Miguel, 55 anos. Um nordestino que conheceu o valor do trabalho na infância e que faz da sua rotina um bom motivo para aproveitar a vida.

O sertanejo nasceu em Princesa Isabel, Paraíba, de onde saiu aos nove anos. A mãe o fez ir embora de casa para morar com o tio no Paraná, motivada pela promessa de um futuro melhor – o que não aconteceu naquela altura. Com a mudança, o menino precisou começar a trabalhar duro no plantio de soja, café e trigo. Também na colheita. Tudo de forma manual, pois na época não havia máquinas para facilitar o trabalho. Uma rotina bem exaustiva: acordar ainda escuro, de madrugada mesmo, sem ter acesso à educação e lazer.

Apesar dos desafios para um menino, o trabalho não era a pior parte, e sim, a falta que sentia da família. “Esse distanciamento me fez sofrer demais. Eu era castigado pela solidão e a tristeza não me abandonava… É por isso que hoje nenhuma distância me afasta dos meus filhos. Até daqueles que moram fora do estado ou mesmo do país (como o caso da querida Jenise que atualmente vive no Paraguai), procuro estar constantemente em contato. Afinal, eu sei da importância disso para cada filho”.

integra_familia

 

Duas paixões

Mas, naquela época, importante também era vencer na vida para dar orgulho aos pais – hoje já falecidos, e foi por isso que ele resolveu trilhar seu próprio caminho em busca de oportunidades. Assim, chegou à cidade grande. Na bagagem, apenas algumas peças de roupas e poucos objetos. No coração, uma força de vontade incrível para recomeçar e, enfim, alcançar a independência financeira. E ele não cruzou os braços. Já em São Paulo, começou a trabalhar em tinturaria, onde fazia secagem de tecido. Mais tarde adquiriu experiências trabalhando em postos de combustíveis e em uma fábrica de pneus, como operador de máquinas construindo correias para automóveis.

Porém, foi pela profissão de taxista que Miguel se apaixonou. Um amor que já dura há 31 anos, assim como a união com a Elenice, com quem está casado há 34. “Juntos já passamos por várias dificuldades – semelhantemente à minha vida no taxi. Só conseguimos superar por causa do amor que cresce a cada dia. Constantemente agradeço a Deus por minha família que, além de muitas outras coisas, é muito unida”.

Mas este homem de origem simples não é querido apenas pelos familiares, no trabalho é comum que muitos apontem qualidades do amigo – sempre preocupado com o coletivo. Como o Rivaldo, com quem tem forte amizade há vários anos. “Costumo chama-lo de meu GPS, pois é ele quem me ajuda nas horas difíceis por aqui com informações precisas. Ele sempre sabe qual o melhor caminho, qual a localidade estamos procurando”. Sempre atento, o “GPS”, como é carinhosamente chamado, também procura passar adiante informações de algum acidente ou no caso de grandes congestionamentos. “Isso é um compromisso com a sociedade. Se eu pensar no meu próximo, sempre haverá alguém que pensará em mim. É aquilo: quem dá recebe”.

05

 

E é também o companheiro de trabalho Rivaldo que conta sorridente que muitas vezes o amigo o ajudou até na madrugada, quando precisou acionar o “GPS”, conclui.

02

 

Com os clientes ele age de forma semelhante. Alguns optam por seus serviços há mais de 17 anos. Além da simpatia, existem outros segredinhos que ele revela com muito humor: “trabalhar? Só se estiver com figurino impecável: terno, camisa bem passada, cabelo cortado e com os fios alinhados, sem abrir mão de um bom perfume.  E com o carro? Uma boa ducha antes de pegar o primeiro passageiro, música clássica – que para mim é uma boa indicação contra o estresse, e um bate-papo descontraído”.

espelho_interna

 

Estendendo a mão

Sr. Miguel já ajudou alguns clientes em viagens distantes que não estavam programadas, tudo para que eles não perdessem compromissos profissionais importantes. A demanda urgente tem explicação: em 2007 um avião da TAM se chocou contra um prédio da empresa ao lado do Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo, em 17 de julho, causando a morte das 187 pessoas a bordo e de outras que estavam no solo. O acidente é o maior da aviação no país. Por esta razão alguns clientes ficaram temporariamente sem coragem de seguir viagem de avião, preferindo assim, o automóvel. Foi aí que ele passou a ser solicitado para viagens longas, que, em nome da amizade, não teve coragem de dizer não.

“É isso! Parte da minha vida acontece no carro… Aqui escuto desabafos, dou conselhos, ouço ou faço piadas, mas sempre com muito respeito. Meus clientes são na verdade amigos queridos que agora já fazem parte da minha vida. Com o taxi corro o dia todo de um lado para o outro, e é de onde tiro o sustento para a minha família e o meio pelo qual alcancei a independência financeira… Como em qualquer outro trabalho, neste também enfrento desafios e dificuldades, mas em meu coração mantenho a fé”.

“Eu sou o Miguel Barbosa. Estudei pouco, mas aprendi com a vida que o trabalho dignifica a pessoa, por isso procuro me dedicar com fidelidade. Eu sou pai, avô, marido. Sou um nordestino que venceu na cidade grande. Sou taxista. Eu sou a Universal!”

07

 

Comentários

Comentar 6 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Flavio disse:

    Sou taxista , e sei muito bem como é a luta, amigo nós somos a Universal

  2. LEIDE disse:

    linda historia …

  3. Fernanda Nascimento disse:

    Parabéns, fiquei muito feliz de conhecer seu testemunho, sou esposa de taxista e sei que seu testemnuho vai animar meu esposo!!!!

  4. Aline - Rio de Janeiro disse:

    Querido irmão, o senhor arrebentou!

  5. Tania Jabour disse:

    Tenho o prazer de conhecer esse grande homem de Deus e profissional Sr Miguel. Pessoa idonea, da minha inteira confianca. Toda vez que vou ao Brasil conto com ele para me conduzir na grande Sao Paulo. Saludos señor Miguel!!! Abrazos desde Mexico!!

  6. eliane disse:

    arrebentou