Eu sou a Universal Universal

Minha história

Sou a Patrícia Leal. Mãe, esposa, empresária. De vítima de pedofilia à uma mulher de sucesso. Eu sou a Universal!

Uma grande batalha vencida, na qual a vida de uma mulher, destruída ainda na infância, fora restaurada.

Meu pior inimigo

O medo tomava conta do meu ser. Durante as noites mal conseguia respirar e meu desejo era deixar de existir. Eu pensava: vou fingir estar dormindo… Porém mesmo assim sabia que teria mais uma noite de terror. Ele sempre dava um jeito… Quando eu menos esperava lá estava aquele homem. Para enganar minha mãe dizia: “vou cobrir nossa filha, pois ela não pode sentir frio durante a noite”. Eu dormia no quarto ao lado e ninguém percebia que era molestada! Isso acontecia com muita frequência.

Não só durante a noite ou no quarto, fora de casa também, principalmente no trabalho dele. O homem que eu pensava ser meu pai, por quem fui abusada dos oito aos 13 anos tornando-me escrava do medo, era militar. Na primeira vez que aconteceram os abusos, saí de casa com ele com a promessa de conhecer um lugar bonito e inesquecível. Quando chegamos, ele simplesmente arrancou minhas roupas. Fiquei anestesiada, sem saber o que fazer! Só sei que naquele instante decidi morrer para a vida.

patricia_1

Além dos abusos constantes passei a sofrer com a pressão psicológica: “se você contar para alguém vou te deixar sem comida… Vou matar sua mãe e sua irmã e a culpa será sua”. Estas frases me assombravam todos os dias, por isso, nunca tive coragem de denunciar. Como pensava ser ele meu pai biológico, resolvi me calar para defender minha família. Mesmo ainda sendo tão criança virei um objeto nas mãos desse homem, que se aproveitava para me olhar pela janela todas às vezes que eu ia tomar banho… Era assustador!

 

Existem outros por aí

O depoimento chocante é de Patrícia Leal, 43 anos. Infelizmente, este não é um caso isolado de abuso sexual na infância. Estima-se que em todo o país, a cada hora, 15 crianças são vítimas de algum tipo de violência, entre elas, o abuso sexual. Porém, por falta de denúncia, este número pode ser bem maior. Assim como em muitos outros casos, como consequência da realidade a que foi submetida, Patrícia tornou-se uma criança isolada e sofria com o sentimento de inferioridade. Movida pelo ódio, ela só pensava em como poderia se vingar do homem que tirou sua infância, a inocência e a paz: “Meu maior desejo era vê-lo morrer!”

Patrícia vivia desamparada. “Para piorar a situação, minha mãe, que não sabia de nada, era bastante agressiva comigo. Por tudo isso, precisava fazer um grande esforço para me sentir viva ou ser notada por alguém”. E foi na escola que ela conseguiu chamar a atenção e ser valorizada. A estudante tornou-se uma das primeiras da turma e só recebia elogios. “Desta maneira, consegui compensar a falta de amor dentro de casa. Ir para o colégio era um grande alívio”.

 

Não havia esperança para mim

A infância afetada resultou em uma vida cheia de traumas. Já adulta, Patrícia não conseguia confiar em ninguém. Apenas sentia vontade de fazer com que todos os homens sofressem terrivelmente. “Eu não tinha problemas, eu era o problema, em tudo. Vivia acumulando sofrimento: dívidas impagáveis, falida, sem trabalho, sem ter até o que comer. Mas o pior era na vida sentimental – mesmo depois de encontrar alguém que passei amar de verdade, de repente o perdi. Após o casamento, acho que o sofrimento aumentou e logo aconteceu a separação, fruto da raiz que carregava comigo: meu passado não me deixava ser feliz. Eu era solitária, mesmo tendo pessoas ao meu redor”.

Poucos conseguem vencer um trauma de infância e suas consequências. Mas esta mulher se superou. Ela deu um basta na dor e recuperou a alegria de viver. “Não apenas isso: recuperei a autoestima, a dignidade… Recuperei o meu casamento, e, principalmente, a força para lutar”.

patricia_2

 

Tudo graças ao tratamento recebido

“Quando recebi o convite para assistir uma reunião, pensei que seria mais um convite que resultaria em nada, como muitos outros. Mas, estava enganada! Na Universal, fui tratada de dentro para fora – o que nenhum grande profissional havia conseguido até então. As palavras que eu ouvia estavam vivas e surtiam efeitos. E assim, comecei a ver mudanças, antes inacreditáveis. Mas nada foi tão forte como a mudança interior: todo o mal que sentia se transformou em força para perdoar. Aquele ódio que carregava contra meu padrasto simplesmente desapareceu, dando lugar a uma paz intensa. Foi assim que consegui vencer o fantasma do passado – meu grande inimigo. Com o coração livre de todo sentimento negativo, passei a usar a fé e a lutar por meus sonhos. Assim, as conquistas surgiram”.

patricia_3

Hoje Patricia Leal é uma empresária bem sucedida. Ela faz parte, como franqueada, de uma das maiores redes do Brasil com 450 restaurantes, com uma expansão para os Estados Unidos e seis restaurantes em operação na Flórida. Por isso ela não para nunca, vive literalmente na ponte aérea. Uma rotina bem puxada, que, ainda assim, faz questão de viver intensamente.

“Para me aprimorar na área fiz MBA em varejo e estou sempre ligada em tudo. Vivo correndo para dar conta dos muitos compromissos. Entretanto, tenho uma prioridade: como aprendi o valor da família, agora este assunto é sagrado para mim. Divido parte do meu tempo com meu esposo e a Gabi, minha filha e grande amiga. Que conquista! A nossa casa é um pedacinho do céu. Hoje já não tenho acesso ao meu ex-padrasto, pois devido ao tempo que passou, perdi totalmente o contato com ele. Claro! Sabemos que tudo o que plantamos, colhemos, pois isso é uma lei da natureza. Mas já não tenho qualquer sentimento negativo ou mesmo raiva. Eu o perdoei!”

patricia_4

Uma grande batalha vencida, na qual a vida de uma mulher, destruída ainda na infância, fora restaurada. Esta brasiliense pode hoje andar de cabeça erguida, afinal, ela é um exemplo de superação! “Em toda a minha história aprendi uma lição muito importante: definitivamente querer não é poder. Eu sempre quis ser feliz, mas não conseguia. Foi necessário aprender a fazer uso da fé e acreditar no meu potencial. Porém antes disso precisei acreditar que estava buscando ajuda no lugar certo!”

Patrícia Leal, de vítima de pedofilia e mulher traumatizada, tornou-se uma empresária de sucesso pronta para conquistar o mundo. Ela é a Universal!

 

patricia_5

 

Comentários

Comentar 12 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Janayna Batista de Souza disse:

    Superar um passado assim sem cultivar mágoas e rancor, só é possível tendo um encontro com Deus, passei por algo semelhante nas mãos de pedófilos e foi através da Universal que minha vida e minha paz foram restituídas.

  2. joicy sergino disse:

    parabens pela superação coisas maiores Deus tem pra fazer.

  3. Dennyse disse:

    nossa que história graças a Deus voce deu a volta por cima não desistiu e acreditou em Deus,tanto é que ele mudou sua vida .Parabens pelo sucesso

  4. Rita disse:

    Patricia parabéns pela superação.

  5. Patricia disse:

    Verdadeiramente , peço que continue na Fé, e se tornando mais e mais abençoada.

  6. silvani disse:

    parabens,muito obrigado pelo seu testemunho é muito forte sei que vai ajudar muitas mulheres a vencer tambem, assim como vc venceu que deus abencoe muitos vc e sua familia mai e mais

  7. Patricia disse:

    Parabéns, vc é um grande exemplo de mulher guerreira e mulher virtuosa!!!

  8. Mari Moura disse:

    Simplesmente DEUS.

  9. marcio bento disse:

    Que DEUS continue a abençoa-la !!

  10. Liliana disse:

    Gostei muito do seu testemunho porque para nós que passamos por essa situação sabemos dar o valor da superação.Deus abençoe cada vez mais.