Eu sou a Universal Universal

Minha história

Sou o Victor Matos, o Engenheiro Capilar. Luto pelo que acredito e meu segredo é a perseverança. Eu sou a Universal!

Até a viagem mais longa começa com o primeiro passo. Na vida, é a mesma coisa.

Todo escritor famoso começou seu primeiro livro com a primeira palavra escrita. Todo construtor, antes, precisou aprender a assentar tijolos.

No trabalho, mesmo as grandes carreiras, começam de baixo.

Victor Matos Braga ainda não sabia qual caminho seguir. Como a maioria das crianças, queria ser jogador de futebol. Na adolescência, sonhou ser advogado. Mas, desde pequeno, sabia o que era trabalho e a importância de ganhar o próprio dinheiro.


Primeiros passos

Aos 11 anos, Victor já ajudava o pai em uma marcenaria. Ainda garoto, foi trabalhar na cantina da escola onde estudava. Até ali, nada indicava o caminho que se abriria para ele.

Dispensado da cantina, o jovem foi atrás de um novo emprego, e surgiu uma oportunidade na barbearia de um amigo. Victor não enxergou ali apenas um ganha-pão, mas a chance de aprender uma profissão.

Na barbearia, ele limpava o banheiro, varria o chão, lavava cabelos, passava os produtos, colocava a capa e servia os clientes. Fazia tudo isso de graça, sem receber salário, porque queria se tornar um barbeiro.

Primeiras ladeiras

Nem a família acreditava na escolha profissional de Victor. Sua mãe dizia que ele deveria se especializar, fazer uma faculdade ou buscar algo mais concreto. Ela achava que a opção do filho era muito incerta.

Além disso, o aprendiz de barbeiro não tinha os recursos necessários para praticar, e precisava recorrer a materiais e equipamentos emprestados.

Victor até pensou em desistir, mas continuou firme.

Com o passar do tempo, foi adquirindo as habilidades necessárias para atuar na área. E os rendimentos com os primeiros cortes de cabelo lhe trouxeram recursos financeiros e a possibilidade de alugar uma cadeira no salão. Ele não parava de aprender e se aperfeiçoar.


Primeiras quedas

Um dia, pilotando uma moto, Victor sofreu um acidente e ficou com o rosto todo desfigurado.

“Esse foi o momento mais marcante da minha vida, porque eu quase morri e foi como um divisor de águas para que eu pudesse aprender e ver que eu precisava me entregar para Jesus”, lembra Victor.

O barbeiro conta que, até então, conhecia a Palavra e a Universal, “mas não levava muito a sério. “Depois que eu vi que poderia morrer e perder a minha Salvação, me entreguei de fato e de verdade para Deus”.

Rumo ao topo

Ao longo de seis anos na área, Victor trabalhou com outras pessoas e em outros estabelecimentos até abrir a própria barbearia, a “Engenheiro Capilar Barbershop”.

Com apenas 22 anos de idade, Victor Matos Braga é o ex-aprendiz que agora é um mestre na tesoura e na navalha. Profissional e empresário de sucesso, tem a agenda cheia de compromissos e muitos projetos de expansão dos negócios. Ele é a Universal!

Comentários